Laboratório de Leitura avança no universo educacional

Histórias Quase Verídicas, A Websérie: episódio 7 no ar. Assista a Hiper o Quê?
16 de maio de 2019
Laboratório de Leitura – Ciclo Pocket I: Ricardo Mituti aplica LabLei de “As Três Perguntas”, de Liev Tolstói, em formação do Alicerce Educação
24 de maio de 2019

Laboratório de Leitura (LabLei), experiência de leitura e releitura compartilhada de clássicos da literatura universal que objetiva fomentar a humanização por meio dos livros, começa a conquistar espaço no universo da Educação.

Embora tenha sido concebido em ambiente acadêmico, na Escola Paulista de Medicina, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), há mais de 16 anos, o LabLei ainda não havia fincado raízes como prática realizada em escolas.

Isso, no entanto, começa a mudar.

No último dia 20, em projeto com as também coordenadoras de Laboratório de Leitura (LabLei) Carolina Próspero Graziano e Maria Lucia Cury, estabeleci parceria com a Eloin Educação pela Experimentação, empresa que presta consultoria e serviços para diversos colégios paulistanos.

A ideia é que a equipe da Eloin possa apresentar o LabLei para seu portfólio de clientes, tendo em vista a introdução da vivência em ambiente escolar.

A parceria também prevê a realização de Laboratórios de Leitura na sede da Eloin, um lindo espaço sediado no bairro do Tatuapé, na zona leste de São Paulo (SP).

Alicerce Educação
Dois dias antes do acordo com a Eloin, eu já havia entrado com os dois pés na Educação. Isso porque fui oficialmente apresentado em evento como integrante da equipe multidisciplinar do Alicerce Educação, um ambicioso – e belíssimo – projeto educacional que, no fundo, é ainda mais um projeto de ascensão social pela educação.

Tive o prazer de ser convidado a integrar um supertime formado por alguns dos educadores mais incríveis que já conheci – e já estamos trabalhando juntos há mais de dois meses.

E sabe o que nos aproximou? A compreensão em comum que temos acerca da educação, como base da formação humana, e da maneira como essa educação deve ser trabalhada: com foco no ser humano, muito mais do que em provas, notas, vestibular e afins. Traduzindo: o Alicerce é um projeto que eu classifico de “educação humanizada”.

Sendo eu um humanista convicto, não haveria como ficar fora dessa jornada. Ainda mais com a responsabilidade de aplicar o LabLei aos jovens líderes que transmitirão conhecimento, em modelo de contraturno, a crianças e adolescentes de regiões periféricas de São Paulo (SP).

Convido você a clicar aqui e conhecer um pouco mais sobre o Alicerce Educação.

Minha torcida, agora, é para que no futuro, quem sabe, o Laboratório de Leitura adentre as salas dos polos do Alicerce em todo o Brasil e também chegue às crianças e jovens (pasme, o plano dos idealizadores desse negócio é inaugurar dez novos polos Alicerce por mês a partir de agosto de 2019 e impactar cerca de 4 milhões de estudantes em até cinco anos (!)).

Eu, claro, estou mais do que pronto!

Como tenho escrito nas minhas redes sociais, é um trabalho por um Brasil com mais livros e menos ignorância.

Esta é e continuará sendo uma das minhas mais importantes missões profissionais – senão a mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *